Segundo Jean Pierre Barral:

           ” Nossa hipótese de trabalho é a seguinte: em situação fisiológica um órgão com boa saúde é móvel graças as serosas que o envolvem, as fáscias, os ligamentos e outros tecidos flexiveis e vivos que o relacionam com o resto do organismo: se desliza, se agita, vive, vibra, palpita, funciona em seu meio. Toda perda de mobilidade, fixação, aderência a outra estrutura tão ínfima como ela, condiciona a patologia do órgão a uma modificação de seus movimentos, que repedidos milhões de vezes levará a  importantes trocas em sua imensa cadeia de contiguidade. Não poderiamos então melhorar devolvendo-lhe sua mobilidade através de manipulações?”

           ” O Osteopata é um mecânico, no sentido correto do termo, é um “micro-mecânico”.    

História da Osteopatia:

           A Osteopatia é uma medicina recente criada nos Estados Unidos pelo médico americano Andrew Taylor Still. Still se tornou médico muito jovem. Sofria de fortes enxaquecas e náuseas, que aliviava quando apoiava sua nuca em uma corda estentida entre duas árvores. Se tornou cirurgião e trabalhou como tal na guerra de Secessão. É nesse período que ele se questiona sobre sua impotência para aliviar os feridos de guerra. Após a guerra resolveu estudar profundamente Anatomia e Fisiologia para entender melhor o funcionamento do corpo humano. 

           Em 1864, uma epidemia de Meningite matou vários de seus pacientes e três de seus filhos. Após isto, curou uma criança que apresentava Desinteria, que na época era incurável, só com as mãos. Foi a primeira vez que Still colocou em prática suas observações anteriores. Decidiu então estudar anatomia in vivo e não nos livros que ele já dominara. Após, determinou os quatro princípios fundamentais da Osteopatia, são eles:

- A estrutura determina a função – A estrutura é na verdade todos os tecidos corporais: Ossos, pele, fáscias, glândulas, vísceras, músculos, articulações, etc. Toda a estrutura é indivisível, ou seja, um todo. A função é o funcionamento da estrutura, ou seja, todos os tecidos corporais. A Patologia não pode se instalar se “o todo” estiver harmônico. Então a desarmonia da estrutura facilita as patologias.

- A unidade do corpo – O corpo busca o equilíbrio em todos os momentos, chamamos de Homeostasia.

- A auto-Cura – Segundo Still, o corpo é capaz de se autocurar. O corpo tem em sí todos os meios necessários para evitar ou eliminar doenças, porém tem que estar em harmonia para funcionar corretamente. A Osteopatia coloca os tecidos em harmonia para que o próprio organismo possa se autocurar.

- A Regra da Artéria é absoluta – O sangue é o meio de transporte de todos os elementos de nosso corpo, assegurando uma imunidade natural. Sua perturbação afetará a uma deficiencia em determinadas regiões do corpo, como consequência o retorno venoso será mais lento, provocando acúmulo de toxinas e debilidade desta região.

           Em 1917, aos 90 anos, Morre Andrew Taylor Still. Em 1892 já tinha criado a American School of Osteopaty, e principalmente, a “semente da Osteopatia” foi plantada e seus discípulos a disseminaram pelo mundo.  

O que significa o termo Osteopatia?

          Osteopatia etmologicamente origina-se do Grego Osteon (osso) e Phatos (efeitos vindo do interior). A Osteopatia é então um termo correto que significa a influência da doença, suas causas e seus tratamentos manuais, e, não como se pensa, uma patologia do osso.

Quais as bases da Osteopatia?    

           Ela está baseada na Anatomia, Fisiologia e na Semiologia. O tratamento se baseia num detalhado exame clínico, um aprofundado diagnóstico e um tratamento direcionado e suave sobre as estruturas em “disfunção”.

Quando procurar a Osteopatia?

           Normalmente a consulta ao Osteopata é normalmente após quadro um álgico(dor), mas a prevenção vem sendo praticada pela Osteopatia com ótimos resultados.

Quais as indicações do Tratamento Osteopático?

           Na verdade, são inúmeras as indicações do tratamento osteopático, exceto tumores e patologias neurológicas graves. As patologias mais frequentes que chegam ao profissional Osteopata são referentes a coluna vertebral, mas a atuação é muito mais ampla. Exemplos onde a Osteopatia tem ótimos resultados:

- Hérnias de disco e Protusões discais; 

- Tendinites (no corpo inteiro);

-Todos os tipos de dores na coluna (Lombalgia, Ciática, Cérvicobraquialgia, Dorsalgia, Escoliose, hipercifose, hiperlordose, Coccigodíneas, etc);

- Entorses de repetição;

- Alterações Posturais;

- Pubialgia;

- Cefaléias e Enxaquecas;

- Refluxo gastro esofágico, Hérnia de hiato, Ptose, Constipação;

- Rinites;

- Zumbidos;

- Cólicas Menstruais, Prostatites, Cistites;

- Etc…

Como é o atendimento de Osteopatia?

        O atendimento se inicia com uma criteriosa avaliação que dará ao Osteopata os parâmetros necessários para o tratamento.

        A consulta dura basicamente 50 a 60 minutos, com algumas excessões. Normalmente o atendimento se realiza em intervalos de 15 dias.

        Em todo o tratamento somente as mãos do osteopata são utilizadas,ou seja, não tem nenhum tipo de remédio. É o mais natural possível. 

E os Resultados?

        Os resultados costumam ser fantásticos e a aparecer logo no primeiro atendimento. Melhoram dia a dia, dependendo é claro, da patologia e dos parâmetros colhidos na avaliação.  

 

Esta é a frase mestre da Osteopatia “Encontre a lesão, fixe-a e deixe o corpo curar-se” – Still.

 Frederico Meirelles.

 

OBS: Trechos tirados do TRATADO DE OSTEOPATIA TEÓRICO E PRÁTICO – Françoais Ricard e Jean-Luc Sallé, 2002. Editora Robe.

About these ads