1, Atividade Física, Atletas, Atletismo, AVC, Área da Saúde, Bem estar, Biomecânica, Coluna Vertebral, Corpo, Derrame, Dor, Esporte de Alto Rendimento, Exercícios, Fisioterapia, Fisioterapia Esportiva, Fisioterapia Neurológica, Fotos, Idoso, Inflamação, Medicina, Medicina Esportiva, Neurologia, Osteopatia, Pesquisas, Qualidade de vida, Reabilitação, Reabilitação Neurológica, Saúde, Saúde do Idoso, Terapia Manual, terapias Manuales, Vídeos

“Cuide bem do seu joelho, pois um dia precisará dele…”

O Joelho, como sabemos, é uma das articulações do corpo que mais se lesionam em qualquer tipo de população. Atletas, amadores, sedentários, obesos, idosos, adolescentes, etc. Em seu estudo com idosos, Bergström BG, comprovou que a prevalência chega de 12,7 a 48% de todas as lesões. Segundo Ladeira, C. E, Em atletas amadores de futebol a incidência de lesões de joelho foi de 13,4 / 1.000 horas de partida.

 

 

           O complexo do Joelho é a maior articulação do corpo, tem estruturas diferenciadas e sofre cargas multidirecionais durante boa parte do dia. Atletas potencializam toda esta mecânica e se lesionam por excesso, e ao contrário, sedentários se lesionam por falta de uso.

As principais lesões do joelho são:

 Ligamentares: Ligamentos cruzado anterior e posterior,colateral medial e lateral, Ligamento patelar, e outros;

 – Lesões meniscais: Em alça de balde, transversas, longitudinais e outras;

 – Fraturas: Fêmur, Tíbia ou Patela;

– Lesões Osteocondrais (Cartilagem articular);

– Tendinites: Tendão patelar, quadricipital, pata de ganso, etc;

– Rupturas tendinosas e musculares;

– Além de problemas reumatólógicos e neurológicos;               

O Osteopatia também tem grande valor na prevenção e tratamento das lesões de joelho, atuando de uma forma diferente. Ela irá buscar em todo o corpo possíveis causas para a sobrecarga do joelho, que podem favorecer a ocorrência de lesões. Muitas vezes o paciente só melhora realmente, se procurar um profissional Osteopata, pois a causa das lesões pode não estar no joelho. Por isso é aconselhável a todos procurar um osteopata para fazer uma avaliação de seus movimentos corporais para prevenção de lesões.

A preparação do joelho para eventuais cargas deve ser feita antes da prática esportiva. Procurar o profissional de educação física para direcionar seu treinamento. Atividade física deve sempre ser estimulada para que a articulação do joelho e todas as outras funcionem normalmente. O corpo precisa de movimento. O que ajuda na nutrição da cartilagem, por exemplo, é o movimento mecânico, se não houver movimento podemos ter um desgaste precoce da articulação, favorecendo a chegada da artrose. Portanto, não fazer atividade física quando se está com dor, não é o correto, o correto é tratar da dor para depois sim fazer a atividade sem mais percalços.

Quando ocorre um trauma forte ou uma lesão antiga que foi negligenciada, o tratamento cirúrgico pode ser a única solução. Hoje em dia as técnicas cirúrgicas estão cada vez menos invasivas e o retorno a atividade se dá em menos tempo. A fisioterapia no pós-cirúrgico é precoce e imprescindível. O estímulo dado pelo fisioterapeuta ajuda a recuperação tecidual além de manter o equilíbrio de estruturas, já que a inatividade é deletéria para qualquer articulação.

 Então termino como comecei:

“Cuide bem do seu joelho, pois um dia precisará dele.”

 

Frederico Meirelles.