Área da Saúde, Biomecânica, Coluna Vertebral, Dor, Fisioterapia, Fisioterapia Esportiva, Idoso, Medicina, Medicina Esportiva, Osteopathic, osteopathy, Osteopatia, Qualidade de vida, Reabilitação, Saúde, Saúde do Idoso, Terapia Manual

Disco Intervertebral, Anel fibroso e Núcleo Pulposo

Siga o instagram http://bit.ly/2F3GyxV 

Os Discos intervertebrais estão localizados entre os corpos vertebrais e são constituidos de Anel fibroso e Núcleo Pulposo. O núcleo Pulposo é a região central enquanto o Anel Fibroso é a região periférica do disco. Os discos intervertebrais tem a característica de serem Hidrófilos, ou seja, suas moléculas tem a capacidade de atrair água. A região periférica do Anel é inervada por ramos dos nervos sinovertebral e vertebral. No núcleo, não foram encontrados vasos nem nervos, então supõem-se que a nutrição discal seja por difusão através da placa terminal cartilaginosa. Fazendo uma analogia a um “ovo frito”, o anel fibroso seria a clara e o núcleo seria a gema do ovo.

Disco Intervertebral

O anel fibroso é constituido de camadas concêntricas chamadas lamelas, que envolvem totalmente o núcleo e o mantém sobre pressão constante. *(Podemos entender aqui, que se o anel fibroso é incompetente em sua função de suportar o núcleo pulposo ele vaza, ou seja, hernia).

A fibras do anel fibroso estão fixadas as placas terminais cartilaginosas nos platôs vertebrais inferior e superior e a sua periferia por fibras de Sharpey.

A mecânica vertebral depende totalmente do disco intervertebral. O movimento da coluna é realizado, em cada nível vertebral, no próprio disco intervertebral, ele é que permite os movimentos. Os movimentos ocorrem mediante deslizamentos das vértebras umas em relação as outras de modo que o disco é a única substãncia maleável entre as vértebras, bastente sólidas. Esta maleabilidade do disco é o que permite o movimento vertebral. Qualquer alteração no nível do disco intervertebral irá atrapalhar toda a mecânica da coluna. Podemos ter alterações estruturais ou funcionais.

– As alterações Estruturais, ou seja, morfológicas, são alterações em que a estrutura tecidual se alterou, não havendo possibilidade de retorno a sua condição normal. Por exemplo: Uma hérnia Discal Extrusa.

– As alterações Funcionais ainda não lesaram a estrutura do tecido, podendo, se forem corrigidas a tempo, não afetar o tecido. Por exemplo: Alterações Posturais.

Normalmente o paciente tem uma alteração funcional que vira estrutural por não buscar o tratamento adequado.

O Núcleo vertebral suporta 75% das cargas que passam sobre o Disco, enquanto o Anel fibroso suporta apenas 25%. Isto quer dizer que a função de suportar carga é prioritariamente do Núcleo, enquanto que o Anel tem a função de ” contenção do Núcleo”. Para entendermos melhor, pense em uma Bexiga cheia de ar, imagina se a colocássemos sobre uma mesa, e com uma das mãos comprimíssemos ela em direção a mesa, a tendência da bexiga é a diminuição do seu tamanho vertical e aumento do seu tamanho horizontal. Voltando a coluna, a bexiga seria o nucleo, que com a compressão (peso do corpo) estaria aumentando seu tamanho horizontal. O anel fibroso, que está justamente colocado em volta do núcleo para não deixá-lo expandir, terá então a função principal de suportar o núcleo, não permitindo uma expansão demasiada do mesmo.

Cargas (Núcleo Pulposo x Anel Fibroso)

Quando, por processos patológicos, temos uma incompetência do Anel Fibroso frente ao Núcleo Pulposo, o Núcleo protrui, gerando Protrusões discais e Hérnias discais.

Protrusão e Herniação Discal

Atenciosamente, Frederico Meirelles