1, Atividade Física, Atletas, Atletismo, AVC, Área da Saúde, Bem estar, Biomecânica, Coluna Vertebral, Corpo, Derrame, Dor, Esporte de Alto Rendimento, Exercícios, Fisioterapia, Fisioterapia Esportiva, Fisioterapia Neurológica, Fotos, health, Idoso, Inflamação, Medicina, Medicina Esportiva, Neurologia, omt, Osteopathic, osteopathy, Osteopatia, pain, Pesquisas, Qualidade de vida, Reabilitação, Reabilitação Neurológica, Saúde, Saúde do Idoso, Terapia Manual, terapias Manuales, Vídeos

UM FELIZ NATAL PARA TODOS!

Gostaria de desejar um grande Natal para todos!

 natal-pagina

Espero realmente que as pessoas lembrem do Natal como a época do ano que a ajuda ao próximo é o mais importante e que toda a generosidade que existe em nós possa se difundir com os mais necessitados recebendo o que precisam. Este é o real espírito natalino.

Abraços a todos e um Feliz Natal!

 

Frederico Meirelles.

1, Atividade Física, Atletas, Atletismo, AVC, Área da Saúde, Bem estar, Biomecânica, Coluna Vertebral, Corpo, Derrame, Dor, Esporte de Alto Rendimento, Exercícios, Fisioterapia, Fisioterapia Esportiva, Fisioterapia Neurológica, Fotos, health, Idoso, Inflamação, Medicina, Medicina Esportiva, Neurologia, omt, Osteopathic, osteopathy, Osteopatia, pain, Pesquisas, Qualidade de vida, Reabilitação, Reabilitação Neurológica, Saúde, Saúde do Idoso, Terapia Manual, terapias Manuales, Vídeos

Curvaturas Vertebrais – Cifose; Lordose; Escoliose

Siga o instagram https://instagram.com/prof.fredericomeirelles?igshid=tmuc9vwhkbq

Com este texto tentarei explicar de forma clara o que são as curvaturas vertebrais, para que servem, como se formam, quais são patológicas e quais são fisiológicas, além dos tratamentos disponíveis.

Numa pessoa adulta normal a coluna vertebral deve ter basicamente quatro curvaturas, sendo duas primárias e duas secundárias. As curvaturas primárias, chamadas assim por formarem-se primeiro, são as cifoses. As secundárias, que são quebras angulares das primárias, são as lordoses que aparecem mediante as forças impostas sobre a coluna durante a infância.

Para ficar mais claro, quando nascemos, nossa coluna vertebral tem a forma de um “c”. A partir do momento que, quando bebê, começamos a levantar a cabeça ocorre uma quebra na curvatura em “c”, esta nova formação angular é a lordose cervical.

Desta forma teremos uma lordose cervical de concavidade posterior e uma cifose “tóraco / lombo / sacra” de concavidade anterior.

A partir deste momento a última curvatura a se formar será a lordose lombar, justamente após o bebê começar a ficar em pé. As curvaturas vão evoluindo até puberdade.

O corpo cria as curvaturas para se equilibrar nas novas posições do corpo no espaço, mediante, é claro, a força da gravidade.

As quatro curvaturas fisiológicas da coluna são:

– Cifose torácica e sacral;

– Lordose cervical e lombar.

Curvaturas Vertebrais

As formas das curvaturas são, na verdade, adaptações do nosso corpo as posturas adotadas pelo corpo humano durante a vida. Estas adaptações alem de ajudarem no equilíbrio do corpo, auxiliam a diminuir as cargas sobre a coluna vertebral.

Alteração postural que leve a um aumento ou diminuição de alguma curvatura ou várias é patológico. Aí estão as chamadas hiperlordoses e hipercifoses, e as hipolordoses e hipocifoses.

Estas curvaturas patológicas causam sobrecarga sobre os discos intervertebrais que tendem a se herniar, é assim que normalmente começam os sintomas. Vide artigo sobre hérnia de disco:

https://fredericomeirelles.com/2008/05/07/o-que-e-hernia-de-disco-o-que-e-protusao-discal-tratamentos-diagnostico-prevencao-sintomas/

Outra curvatura patológica é a escoliose. Esta, mais grave, pode estar associada a fatores genéticos e se caracteriza por desvios laterais da coluna vertebral.

A escoliose pode ser adquirida, congênita ou idiopática (sem causa aparente).

Quando é muito visível, a cintura pélvica e os ombros normalmente estão desalinhados.

A escoliose estrutural é aquela em que a formação óssea e de outros tecidos estão comprometidos, e neste caso a estabilização é o única solução, visto que a formação corporal já está constituída. Em muitos casos a cirurgia é indicada para conter uma provável evolução da patologia, que pode em determinados casos, chegar ao óbito se não contida.

Quando a escoliose é funcional existe sim a possibilidade de melhora, pois somente a função está danificada e a estrutura está intacta. Neste caso o tratamento fisioterápico especializado ajuda bastante o paciente.

Escoliose

Podemos entender que qualquer alteração, principalmente na infância, pode levar a modificações posturais leves, moderadas e até graves que repercutem na saúde do indivíduo. Uma intervenção precoce nestes casos se faz necessário em virtude do crescimento corporal. O quanto antes o diagnóstico postural for realizado, maior as chances de estabilização e até melhora na harmonia da coluna. Os pais devem estar atentos na postura dos filhos. Se notarem que o equilíbrio da coluna da criança está anormal, devem procurar auxílio médico e depois tratamento fisioterapêutico especializado.

O tratamento deve ser realizado quando qualquer curvatura patológica estiver presente.

Tratamento Médico:

Sintomático – Com remédios analgésicos, antiinflamatórios, relaxantes musculares e etc.

Cirúrgico

Coletes – Milwalkee, Boston, etc.

Tratamento Fisioterapêutico:

Sintomático – Eletroterapia, Termoterapia, Fototerapia, Massoterapia, Hidroterapia, acupuntura, etc.

Funcional:

– Osteopatia;

-Quiropraxia;

– RPG;

– Estabilização segmentar;

– GDS;

– Pilates.

A integração entre Fisioterapeutas, Médicos e demais profissionais envolvidos deve ser a melhor possível para a busca do melhor para o paciente.

Frederico Meirelles.

Siga o instagram @prof.fredericomeirelles